— Paisagens e passeios

Trevelin

Trevelin (do Galês, TRE: Cidade e VELIN: Moinho) foi fundada em fins do século XIX pelos colonos galeses do vale inferior do rio Chubut. Os primeiros habitantes galeses chegaram pela primeira vez à região na expedição comandada pelo coronel Fontana em 25 de Novembro de 1885. Antigamente os colonos galeses chamaram a este vale de “Cwm Hyfryd”, Valle Hermoso. Foi oficialmente fundada com o nome Vale de 16 de outubro.

Todos os 25 de novembro de cada ano se comemora a Fiesta del Pueblo.

É uma vila de montanha, nas margens do rio Percey, rodeada por extensos lagos e rios de extrema beleza natural.

Trevelin fica a apenas 22 km da cidade de Esquel, e a 24 km do Parque Nacional Los Alerces.

 Dados Úteis

Turismo de Trevelin   
Rotonda 28 de Julio y Plaza Coronel Fontana CP (9203) Tel: (02945) 455652/451927/453145. www.trevelin.org

Clima

Continental frio e seco. É uma área típica de chuva e neve no inverno, que permitem a realização de esportes de inverno, e um verão seco e ensolarado. Os ventos predominantes vêm do oeste.

No inverno, as temperaturas médias variam entre 3°C a 5°C e no verão entre 16°C e 25°C. No verão de 2008 houve temperaturas muito elevadas: em alguns casos chegaram a 35°C a 37°C. São fortes as quedas de neve durante o inverno. O inverno de 2007 foi incomum, já que nevou apenas dois dias durante todo o inverno.

Solo e relevo

A paisagem formou-se principalmente pela ação de geleiras, há 11.000 anos. Quando o gelo recuou criou sistemas de drenagem, formando numerosos lagos, rios e cascatas. Então, a área foi coberta por cinzas vulcânicas, que ajudou a desenvolver os solos férteis. A região é delimitada por montanhas.

Flora  

Trevelin está localizada na zona úmida da Patagônia, mas quase no limite da zona seca, daí a paisagem variada: pastagens e pradarias a leste, um parque de transição em que domina a árvore chamada maitén a oeste, e quase no sopé dos Andes, os bosques frios de raulíes, lengas, coihues, ñires, cipreste Patagônico, azinheiras, maquis, murtas e lahuanes gigante ou Alerce (Fitzroya), que atingem os 60 metros de altura e os 3,5 metros de diâmetro, com mais de 3.000 anos. Sob estas espécies de árvores o sub-bosque é abundante, onde se destacam a formação de gelo, salsaparrilha, o calafate, cogumelos, entre outros.

Dentro do Parque Nacional Los Alerces a precipitação anual é de 4.000 milímetros, formando uma das florestas da Patagônia Andina mais rica em vegetação valdiviana onde encontramos o larício, uma das árvores do planeta de maior longevidade. Este parque nacional é criado para dar proteção a essas florestas de Alerce, que no início do século XX estava prestes a desaparecer por causa da exploração descontrolada do homem. Em ambos os lados do lago Menendez estes espécimes majestosos têm uma idade estimada de 4.000 anos e 70 metros de altura.

A rosa mosqueta, o lupino e margaridas são exóticas europeias que se transformaram num grave problema de conservação de espécies nativas devido à sua grande dispersão sem assistência, que substituia o original.

Trevelin possui um microclima excepcional, e em áreas protegidas como o Lago Baguilt, podemos encontrar o liquen, vegetal asociado a fungos e algas verdes. Sua presença é sinônimo de “ar puro”, porque só se desenvolve em sítios não contaminados.

Fauna

São muitas espécies de aves como o chucao, pica-paus negros patagónicos, o pítio, o periquito austral, o caburé, o tordo austral, a pomba araucana (em perigo), o tero, patos, garças, flamingos, emas, gaivotas, águias, corujas, e pássaros tão majestosos como condores, entre outras espécies.

O Parque Nacional Los Alerces é o lar de muitas espécies ameaçadas como o pudu (o cervo mais pequeno do mundo), o gato huiña, o huillín ou lontra da Patagônia, o tucu-tucu (um roedor escavador que vive em cavernas), o Puma e mais importante de todos, o cervo andino (huemul), um veado nativo da Patagônia que habita a floresta e está em grave perigo de extinção. Na Argentina, o Huemul foi declarado Monumento Natural Nacional, e está sob a protecção máxima que pode ser atribuído a uma espécie. Este cervo pode ser visto no cimo do Cerro Riscoso, declarada área crítica para a conservação da espécie. Se você avistar um huemul em qualquer setor do parque (um sonho quase impossível), é muito importante que informe os Parques Nacionais.

A caça furtiva ameaça tanto o huemul como o puma, ambos altamente apreciados pelos caçadores. Por outro lado, as espécies introduzidas, como o veado, o gamo, o javali, a lebre e a marta têm causado um sério impacto.

Nos lagos e ríos, o salmão e a truta são abundantes espécies apreciadas pelos pescadores desportivos.

É muito comum na área ver desde a estrada os guanacos (uma espécie muito engraçada e curiosa). No parque nacional poderá ver os chucao calmamente, já que esse pássaro é muito manso e curioso.

Alguns dos conteúdos foram obtidos a partir de http://es.wikipedia.org/wiki/Parque_Nacional_Los_Alerces

Cultura galesa

Museu Cartref Taid: “Casa do Avô”

Aquí se pode ouvir a história contada pela neta de John Daniel Evans, um personagem importante na história de Trevelin e da Argentina, e do seu cavalo Malacara, o fiel animal que salvou sua vida na emboscada dos índios (Vale dos Mártires). Há também o túmulo do cavalo Malacara e muitas fotos e artigos do período em questão.

Se você quiser saber um pouco sobre história argentina, deve visitar este Museu.

Museo Histórico Regional

Aberto todo o ano, o museu está instalado no edifício antigo do Moinho Farinheiro Andes, fundado por John Daniel Evans. Aqui se encontra parte da história local e objetos antigos utilizados pelos moradores.

Capela Bethel

A primeira capela foi inaugurada em 1897, totalmente feita de troncos. No ano de 1910, foi construída de tijolo uma completamente nova, que foi restaurada em 1997. 

Casas de chá galês

Há duas casas importantes que servem o chá galês acompanhado por doces regionais, incluindo o famoso bolo negro galês. O visitante não pode deixar Trevelin sem ter visitado uma dessas casas de chá tradicionais:

Nain Maggie: Perito Moreno 179. Tel: (02945) 480-427

La Mutisia: Avenida San Martin 170. Tel: (02945) 480-165.  

Escola N º 18 (Museo del Plebiscito)

No dia Abril 30 de 1902 esta pequena escola de Vale de 16 de Octubre foi palco de um dos eventos mais significativos na história das disputas fronteiriças entre a Argentina e o Chile. Ali, os moradores, na sua maioria galeses e alguns Mapuche e Tehuelche, reunidos pelo perito Francisco Moreno na frente do tribunal arbitral presidida por Thomas Holdich, entregaram um documento expressando o seu desejo de que o conflito terminasse mais rapidamente possível para que o Governo argentino pudesse continuar a desenvolver a colônia. Este evento e o fato de que a Argentina tinha presente no local as três autoridades básicas: educação, justiça e segurança, foram decisivos para o arbitrio a favor da Argentina.

Para chegar até a escola deve seguir pela RN 34 (o caminho para “Los Rifleros”), a 9 km de Trevelin. Se continuarmos mais 6 quilômetros chegamos a “Piedra Holdich”, um monumento em homenagem à visita do juiz britânico que resolveu o diferendo entre o Chile e a Argentina em 1902. Se se sair do Complexo Rincones del Sur pela rua Antonio Miguens também pode chegar ao museu, a cerca de 8 km.

(Veja vídeo da estrada “Los Rifleros”)

Um pouco de história…

Em 1865, zarpou de Liverpool o navio Mimosa. A bordo estavam uma centena e meia de galeses de todas as idades, imigrando para escapar do domínio britânico sobre o seu pequeno país. Depois de dois meses no mar, desembarcaram em Puerto Madryn, em 28 de Julho de 1865. De lá, eles se mudaram para a costa do rio Chubut, onde começaram a construir as primeiras casas, dando vida às cidades de Rawson e Gaiman.
Estabeleceram uma relação pacífica com os índios que resultou em benefício mútuo. Os aborígines, principalmente Tehuelches, ajudaram os colonos a se familiarizarem com a nova terra e sua cultura, e comercializavam os produtos da caça. Também incentivaram os colonos galeses a procurar outras terras mais férteis e seguras, no sopé das montanhas.

Um dos episódios mais recordados pela comunidade galesa em Chubut foi o terrível incidente que aconteceu no Vale dos Mártires em 4 de Março de 1884, quando um grupo de quatro galeses, procurando melhores terras para a agricultura, alguns dizem em busca de ouro, foram atacados por homens do chefe Foyel. Três deles foram brutalmente assassinados, enquanto que John Daniel Evans, que montava um cavalo quando os índios os surpreenderam, foi salvo pelo seu cavalo Malacara, que para fugir ao ataque saltou sobre o planalto, levantou-se após a queda e continuou inabalável até trazer Evans ao Vale Chubut.

Vinte anos depois da chegada dos galeses a Chubut, sob ordem do coronel Luis Jorge Fontana, em 1885, a expedição dos 29 Rifleros guiados por John Daniel Evans, atravessa de leste a oeste à procura das terras férteis de que lhes haviam falado os Tehuelches. Depois de uma longa viagem chegam Cwm Hyfryd ou Vale Formoso, nomeado assim após a impressão que lhes causou tamanha beleza e riqueza natural da região. Foi oficializado como “Vale 16 de outubro”, em adesão à Lei Nacional de Territórios assinada nesse dia no ano de 1888.

Uma das manifestações históricas e culturais da tradição galesa é o Eisteddfod, um festival de poesia e eventos musicais no idioma galês e castelhano. O primeiro festival Eisteddfod foi realizado no Moinho Andes em 1922. 

Rio Grande ou Futaleufú

Este imponente rio, que parece um lago (daí o nome Grande), permite múltiplas actividades como a pesca e a navegação. O ambiente e a paisagem deste rio tornam-o um dos rios mais belos do mundo. Também pode desfrutar de um dia no parque de campismo Aiken Leufu, nas margens deste rio. Recomendação: não deixe de provar os scones!

Piedra Parada

Ao chegar à cidade de Esquel devem tomar a RN 40, e viajar 17 km até ao desvio da RN 12. A partir daqui, 65 km de estrada de cascalho até Gualjaina, uma pequena aldeia perto de Piedra Parada (a 42km). Na zona irá encontrar pinturas rupestres e restos de ossos e flechas. Do outro lado do rio Chubut pode vislumbrar o “Buitrera” ou “Grande Cañadón”, que é um lugar encerrado por muros de mais de 100 metros de altura com uma distância de 6 km.
A primeira rota recomendada é a chamada de “sono lento”, sendo esta a primeira via de “escalada” do lugar, onde você subirá um total de 240 metros de escalada.
O segundo trajeto que você pode fazer é o “Big Bang”, que tem uma altura de 248 metros com uma rota muito exposta.
Há um passeio a Piedra Parada boiando no rio Chubut. Inclui almoço e lanche. Após o almoço, trekking através dos desfiladeiros do lugar, e no final, um lanche antes de voltar a Trevelin. A viagem inclui equipamento completo para a navegação.

Caminhadas nos túneis de gelo do Cerro La Torta

Esta excursão combina aventura e trekking 4 x 4 para o Cerro La Torta. Ao chegar ao pé da Cascata Irigoyen vai poder ver os túneis de gelo. Este passeio inclui almoço.

A Trochita “Velho Expresso da Patagônia”

Este trem histórico, de apenas 75 cm de bitola e cujas locomotivas a vapor – de 1922 – são as únicas do mundo ainda em funcionamento, foi declarado Monumento Nacional em 1999. O trem começou a operar em 1945.

Atualmente, o trem sai da estação de Esquel até à estação de Nahuel Pan, numa viagem que nunca irá esquecer. As excursões são feitas todos os anos, consultar dias e horários. Existem descontos para idosos, estudantes universitários, residentes e crianças.

 

Parque Nacional Los Alerces

Deixando Trevelin pela Ruta Provincial 71 chega-se a um dos mais belos e cuidados parques nacionais do país, com 263.000 hectares que protegem as preciosas florestas de alerces milenários. Está localizado a apenas 24 km de Trevelin. Dentro do parque há muitos lugares imperdíveis, como as praias junto ao Lago Verde e rio Arrayanes.

Se chegar até a Pasarela del río Arrayanes poderá atravessar o rio através de um percurso guiado pelo bosque até ao porto Chucao. É muito bonito na primavera apreciar os caminhos rodeados por retamas vermelhas (Genista andreana), como podemos ver nas fotos abaixo.

Um dos passeios mais importante da região é o Safari do Lago, uma atração turística que não pode deixar de realizar. O passeio começa quando se chega à Pasarela del río Arrayanes, aí começa um circuito entre o bosque andino-patagônico que o leva diretamente até ao porto Chucao. Antes de chegar ao destino o barco pára alguns instantes em frente ao Glaciar Torrecillas.

A caminhada guiada através do bosque e da floresta valdiviana é imperdível, como o é o Lago dos Cisnes e o Rio Cisne e os seus corredeiras que o acompanham no trajeto até chegar ao “Abuelo”, um lariço com mais de 2.600 anos e três metros de diâmetro. Este passeio tem lugar durante todo o ano.

Há uma outra visita ao glaciar Torrecillas, incluindo trekking no glaciar, comida e equipamentos. Este passeio tem lugar apenas no verão.

Outra excursão é ao Lago Kruger, começando no Porto Limonao e atravesando o Lago Futalafquen até ao “Estreito de Monstros”, que une este lago com o Kruger. O passeio inclui caminhadas ao longo do rio Frey, onde varias espécies da zona podem ser avistadas.

Se continuarmos na ruta 71 passaremos pelas margens do Lago Futalaufquen, Rio Arrayanes, Lago Verde, Rio e Lago Rivadavia, até alcançar a pitoresca vila de Cholila, um passeio altamente recomendável. Em Cholila poderá visitar a casa de campo de Butch Cassidy e Sundance Kid e sua esposa Ethel Place, principal atração turística para aqueles que seguem a legenda desses famosos bandidos. 

Cascatas Nant & Fall

Circuito Nant & Fall e outros passeios na RN 259

As Cascatas Fall & Nant estão a 20 km de Trevelin, e se acedem pela RN 259 que o leva a Los Cipreses. Correspondem à primeira Área Protegida Provincial de uso turístico da cordilheira. Através de uma viagem com diversos miradouros, podemos admirar as quedas de agua de La Petisa, Las Mellizas y Salto Grande, com destaque para uma floresta formada por ciprestes, coihues e outras espécies de árvores como o radal, a laura e o maiténs.

Após visitar as cascatas e seguindo até à fronteira encontra-se o Moinho Nant Fach, réplica fiel dos moinhos utilizados pelos colonos galeses e que ainda está em operação.
Se é amante de peixes, não deixe de visitar também a Estação de Piscicultura, um Centro de Pesquisa e Produção de alevinos responsável por manter estáveis as populações de truta e salmão.  Os visitantes podem observar os estádios de desenvolvimento de diversas variedades de peixe. Horário: 9 a 18.

A apenas 2 km poderá conhecer o Estabelecimento Jordán, uma empresa familiar que se dedica a criar trutas e productos defumados. Uma viagem agradável e uma conversa interessante sobre o processo de defumação, e no final convidam-no a provar diversos defumados. 

Lago Rosario

O Lago Rosário está a 28 km de Trevelin, e o acesso é feito pela RN 259 e RN 17. É um lugar de beleza espetacular que tem um pitoresca aldeia aborígene, onde se pode comprar artesanato. Há um acampamento onde passar o dia, e existem jogos para crianças. Aí pode-se fazer um piquenique à beira do rio e desfrutar da sua beleza e tranquilidade. Também se pode praticar pesca e atividades aquáticas. 

Lago Baguilt

Este belo lago da cordilheira, recentemente declarado Reserva Natural Turística, está localizado no sopé do Cerro Cónico, limite natural entre Argentina e Chile, desde cujo glaciar descem as águas que o nutrem. Dada a riqueza natural da área e sua extrema fragilidade (em estado virgem), as actividades recreativas e científicas que ocorrem no seu território devem ser acompanhadas por um guia especializado para garantir a segurança dos visitantes e a integridade do patrimônio natural.

Adequado apenas para veículos 4 × 4, mountain bike, trekking ou a cavalo. Excursões realizadas: bird watching, trekking, cavalgadas, escaladas. 

Complexo hidrelétrico Futaleufú

O complexo hidrelétrico Futaleufú, localizado no extremo sul do Parque Nacional Los Alerces, a 16 km de Trevelin, é uma obra impressionante de engenharia. Dentro do complexo existem diferentes praias no enorme lago artificial Quimei Amutui (beleza desaparecida), e setores com piscinas naturais, onde se pode nadar e ter um belo dia.

 A partir do aterro sanitário dentro do complexo se realizam excursões de trekking até à fronteira com o Chile.

A caminho para o complexo hidrelétrico está o campo experimental do INTA. Pode-se visitar e receber informações sobre as atividades da região. Há também um trilho auto-guiado. 

Museu Leleque 

Localizado no km 1440 da RN 40, a 110 km de Trevelin,  rodeada pela imponente paisagem da cordilheira.

Leleque deve o nome a uma planta originária do local.

 No museu encontramos história dos povos nativos, como os índios Tehuelches, do qual podemos ver uma réplica de um toldo tehuelche, e também sobre os primeiros colonos galeses e seus objectos, e até mesmo uma pequena réplica de um moinho de farinha galês. Há outras histórias como a dos bandidos americanos Butch Cassidy e Sundance Kid, que nos leva a uma época não muito distante, mas muito diferente da nossa história atual.

Em “El Boliche” se recria uma típica loja dos anos vinte (1920). Também se pode provar cerveja artesanal e comprar o artesanato local.

À quarta-feira o museu está fechado. Também durante o mês de maio, junho e setembro, o museu está fechado. Consultar horários.

Depois de visitar o museu Leleque, você pode optar, se tiver tempo, por voltar por Cholila e passar pela casa onde viviam Butch Cassidy e Sundance Kid, um detalhe curioso desta casa era que havia portas ou janelas em toda a casa, para não mencionar que o local tem uma vista panorâmica completa e localizada junto ao rio. Será que eles se sentiriam perseguidos?

 Se gostar de chá pode visitar a casa vizinha, que também guarda diversos pertences desses bandidos famosos.

No retorno poderá disfrutar do Parque Nacional Los Alerces, caminho altamente recomendado pela sua extrema beleza. 

Fronteira com o Chile

Passagem Internacional Futaleufú 

Tomando a RN 259 chegamos à fronteira internacional mais próxima, a apenas 35 km de Trevelin. Do lado argentino a última cidade é Los Cipreses, e do lado chileno a cidade de Futaleufu, uma pequena vila de casas pitorescas, a apenas 15 km da fronteira.

Na Fronteira encontra-se a Gendarmeria (policía), onde se realizam os processos de migração.

Em Futaleufu há actividades de rafting com as suas corredeiras que variam de classe II, III, IV, até classe V.

Se deseja continuar a sua viagem através do território chileno deve tomar a sinuosa estrada que o liga à Carretera Austral. Siga por esta estrada até Chaitén, localizada no Oceano Pacífico, onde passará a noite para no dia seguinte apanhar o ferry para levá-lo para Quellón (na ilha de Chiloé) ou Puerto Montt.

Corcovado, Carrenleufú y Palena 

Pegue a RN 259, e no km 6 quando chegar ao cruzamento tomar a RN 17 para Corcovado. O Vale de Corcovado é muito pitoresco e é um paraíso para os pescadores. Aqui também se faz rafting (imperdível para quem executa essa atividade pela primeira vez), e caiaque. Corcovado está a 80 km de Trevelin. Se continuarmos nesse caminho outros 20 km chegamos a Carrenleufú, onde está outra fronteira internacional que divide a cidade argentina de Carrenleufú com Palena, no Chile.

Em Carrenleufú desenvolvem-se os processos de migração para a passagem para Palena. A partir daí você pode entrar por um caminho através da selva valdiviana até ao pequeno Puerto Ramirez. Este circuito conecta-se com a fronteira de Futaleufú, permitindo o retorno a Trevelin pela RN 259.

Se chegou a Carrenleufú e não vai cruzar para o Chile, recomendamos que você siga o caminho que o leva à pasarela, pouco antes de chegar parece que a estrada se perde e está indo através de cross country, mas não se preocupe e siga alguns metros mais e chegará a um lugar que nunca vai esquecer.

Outra opção quando visitam Corcovado é o Lago Vintter, espelho de água azul brilhante, rodeado por montanhas com florestas, com praias rochosas do lado sul, o que torna este lugar uma boa escolha para passar um dia.

facebooklikebutton.co